Blind Guardian

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Blind Guardian

Mensagem por Malklord em Sab Mar 07, 2015 10:50 am

Pessoal,

Essa é minha banda preferida, obviamente pela sua influencia Tolkieniana,
Mas também pelo coração que percebemos nas músicas.



Deixo-lhes uma palhinha de uma das melhores musicas e mais conhecidas deste grupo maravilhoso.

Blind Guardian escreveu:

The Bard's Song (In The Forest)

Now you all know
The bards sang their songs
When hours have gone by
I'll close my eyes
In a world far away
We may meet again
But now hear my song
About the dawn of the night
Let's sing the bard's song

Ref.:
Tomorrow will take us away
Far from home
No one will ever know our names
But the bards songs will remain
Tomorrow will take it away
The fear of today
It will be gone
Due to our magic songs

There's only one song
Left in my mind
Tales of a brave man
Who lived far from here
Now the bard songs are over
And it's time to leave
No one should ask you for the name
Of the one
Who tells the story

Ref.:
Tomorrow will take us away
Far from home
No one will ever know our names
But the bard's songs will remain
Tomorrow all will be known
And you're not alone
So don't be afraid
In the dark and cold
'Cause the bard's songs will remain
They all will remain

In my thoughts and in my dreams
They're always in my mind
These songs of hobbits, dwarves and men
And elves
Come close your eyes
You can see them, too

Blind Guardian é uma banda de power melodic metal formada em meados da década de 1980 em Krefeld, na Alemanha. Antes de adotarem o nome Blind Guardian, os músicos da formação original lançaram duas demos com o nome Lucifer's Heritage, em 1985 e 1986. Os membros da banda são: Hansi Kürsch como vocalista, André Olbrich e Marcus Siepen nas guitarras, Frederik Ehmke na bateria, e Barend Curbois no baixo. A banda geralmente busca inspiração para suas músicas na cultura medieval, nas mitologias nórdica e grega e nas obras de J. R. R. Tolkien.


Com o nome de Lucifer's Heritage, formada em 1984 pelos mesmos integrantes da banda que viria a se chamar Blind Guardian, foram lançadas duas demos: o primeiro, intitulado Symphony of Doom, veio no ano de 1985; o segundo foi Battalions of Fear, de 1986. O primeiro contrato de gravação foi assinado com a No Remorse Records, um selo pequeno e independente. A banda teve apenas duas semanas para lançar a versão oficial de Battalions of Fear. Foram feitos oito shows para esta primeira turnê, todos ao lado da banda Grinder, que havia lançado o seu debut no mesmo ano. Os shows tinham em média 200 pessoas, e a partir daí o público só viria a aumentar.

Dessa vez teriam uma semana a mais para a gravação e ainda contaram com a participação de Kai Hansen, que havia se interessado pelo trabalho da banda. O resultado foi Follow the Blind, mais pesado que seu antecessor, sob forte influência da banda de thrash metal Testament. O álbum inclui também um cover de "Barbara Ann", da banda norte-americana Beach Boys, e outro de "Don't Break The Circle" da banda inglesa Demon. Não foi feita turnê para este álbum pois André e Marcus estavam de Serviço Militar, contudo conseguiram fazer algumas apresentações em fins-de-semana. A média nesses shows era maior em relação ao álbum anterior.

Com o início da década de 1990, a banda entra novamente em estúdio com o produtor Kalle Trap (o mesmo dos álbuns anteriores). Kai Hansen participa mais uma vez do álbum, fazendo duetos com Hansi. A capa foi feita por Andreas Marschall, e todas as seguintes seriam feitas por ele. Então Tales from the Twilight World é lançado. Dessa vez foram feitas três semanas de turnê, na qual a banda tocou pela primeira vez fora de seu país, indo para Áustria e Hungria. O grupo foi acompanhado, dessa vez, pelo Iced Earth. Juntamente com Jon Schaffer — líder e fundador do Iced Earth — Kürsch viria a formar o Demons & Wizards.

O selo No Remorse Records estava falindo e a distribuição dos CDs já era feita pela Virgin Records. O grupo decidiu, então, mudar de gravadora, assinando com a Virgin. Deu-se início às gravações do novo álbum, Somewhere Far Beyond. A participação de Kai Hansen novamente se fez presente neste CD. O resultado é um álbum divisor de águas para a banda. Está presente nesse álbum um dos maiores sucessos da banda: "The Bard's Song (In The Forest)". Foram pela primeira vez para fora do continente europeu, realizando dois shows em Tóquio. Foi decidido que ocorreria a gravação do primeiro álbum ao vivo, intitulado Tokyo Tales. Esse foi o último álbum com o produtor Kalle Trapp, que seria trocado por Flemming Rasmussen, pois já não oferecia um trabalho interessante à banda.

Dois anos depois são lançados dois singles, "Bright Eyes" e "A Past and Future Secret", anunciando o próximo álbum da banda: Imaginations from the Other Side. A turnê envolveu todos os países europeus e muitos foram repetidos.

Durante os anos seguintes foram feitos vários singles com covers e versões alternativas para as músicas dos álbuns anteriores. O ápice deu-se com o lançamento do The Forgotten Tales, que traz as covers antes feitas e versões variadas de outras músicas da banda.

Para o próximo álbum, Hansi decidiu deixar o baixo e dedicar-se apenas aos vocais. Para substituí-lo foi recrutado Oliver Holzwarth (das bandas Sieges Even e Val Paraíso). A posição de baixista ainda continua em aberto, pois Hansi planeja voltar a ela um dia, assim Oliver é considerado um músico convidado apenas.

Em 1998 foi lançado o single "Mirror Mirror". Poucos meses depois o álbum Nightfall in Middle-Earth foi lançado, sendo inteiramente baseado no livro O Silmarillion do escritor inglês J. R. R. Tolkien. E nesta turnê a banda foi para a América, passando pelo Brasil. Participar de grandes festivais, como Wacken Open Air, Metal Gods, Metalfest, Bang You Head, tornou-se comum para a banda.
avatar
Malklord
Admin

Mensagens : 312
Data de inscrição : 15/08/2014

Ver perfil do usuário http://www.aemaeth.org

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum